segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Região Episcopal Vale do Acaraú realiza V Marcha do Vale



     Aconteceu no último dia 15 (quarta-feira), a quinta edição da Marcha do Vale em Defesa da Vida. O evento foi realizado na Paróquia de São Francisco de Assis, município de Cruz, teve como Tema: O homem e o rio Acaraú: uma questão de sobrevivência, e o Lema: “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância”. (Cf. Jo 10,10). A Marcha teve por objetivo Geral; promover uma ampla reflexão da realidade desastrosa com relação à vida, de modo particular, à segunda maior bacia hidrográfica do Ceará, tendo em vista a observação dos perigos oriundos da poluição e do avançado processo de assoreamento. Nessa perspectiva, a Marcha do Vale foi um grito de alerta para sensibilizar o povo, sociedade civil organizada, poder público, para os diversos problemas que agridem o nosso rio Acaraú. Nesse ano, a Marcha contou a presença e as Bênçãos do nosso pastor Dom Odelir José Magri, bem como de todos os Párocos e Vigários Paroquias que compõem a Região Episcopal Vale do Acaraú (Cruz, Acaraú, Bela Cruz, Jijoca de Jericoacoara, Caiçara, Aranaú, Marco, Morrinhos, Santana do Acaraú, Celsolândia e Cauasu).
 
    Cronograma de Atividades:
5h – Acolhida e apresentação da Banda Som de Cristo. Momento de Oração e a palavra de acolhimento do Pe. Valdery da Rocha, Pároco de Cruz;
6h – Início da Caminhada passando pelas principais ruas da Cidade de Cruz;
8h30 – Apresentações temáticas das Paróquias participantes e Apresentação da EEI Alaide Ramos, com o Tema: “Criança a favor da Paz no Trânsito”. Seguido do café da manhã ao Som da Banda de Música Municipal;
9h30 – Fórum Regional da V Marcha do Vale em Defesa da Vida, realizado no Centro Cultural Cruzense. Foi o momento no qual o público presente teve a oportunidade de conferir a retrospectiva das Marchas realizadas nos anos anteriores, e prestigiarem os palestrantes convidados. A saber: professora Maria Palmira Soares Mesquita (Vice-Reitora da Universidade Estadual Vale do Acaraú e Dra. Em Geologia pela Universidade Estadual Paulista), José Bezerra de Sousa Júnior (Tecnólogo em Recursos Hídricos/Saneamento Ambiental) e o Professor José Osmar Fonteles (Mestre em Sociologia, professor da UVA e Secretário de Turismo de Jijoca de Jericoacora).
11h – Momento para as Oficinas/Gesto Concreto da Marcha
12h15 – Almoço para os participantes na Quadra da Escola São Francisco de Cruz.

     Assim, Rogamos a Deus que a V Marcha do Vale possa propor atitudes, comportamentos e prática fundamentados em valores que tenham a vida como referência no relacionamento com o meio ambiente e a vida do ser humano, como também denunciar situações e apontar responsabilidades no que diz respeito aos problemas ambientais decorrentes da falta de cuidado com relação ao nosso querido rio Acaraú.

Por Diácono Lucas Moreira

Grito de alerta
Peço permissão a Deus
Reto pai e onipotente
Que me dê inspiração
E eu seja bem competente
Pra sem pensar em tabu
Falar do Rio Acaraú
E das maldades que ele sente

Com um gesto indecente
Em alguns lugares é soterrado
As arvores ao seu redor
Estão quase todas devastadas
Parece sofrer abandono
Mas as margens tem seu dono
Pois estão todas cercadas

Uns para criar gado
Outros fazer plantação
Usando um tal de agrotóxicos
Sem nenhuma proteção
Para  á vida é um desafio
Porque tudo cai dentro do rio
 E causa contaminação

 Até a água então
Já é barrada também
Pra pegar outros caminhos
Construídos por alguém
Pra ser comercializada
E lucro ser destinado
Pro bolso de quem já tem

Outros males também
Que é um grande desafio
Alguns lixões desprotegidos
E ninguém dá nem um piu
E uns assoreamentos
Em uns canais velhos nojentos
Direto pra dentro do rio

Coisa que jamais se viu
Nem se podia imaginar
As retiradas de barro
Em área irregular
E as areias que vão tirando
Se ver até máquinas escavando
E ninguém consegue barrar
  
Vamos imaginar
A beleza natural
Com essa lei que aí está
De um novo código florestal
Com quinze metros preservados
O resto pode ser devastado
Será que isso é normal?

Vejamos o carnaubal
Que serve pra mim e pra tu
Que da palha a gente faz
Chapéu, saca, tucum e uru
E é grande maravilha
E se encontra nas ilhas
Do nosso Rio Acaraú

Terra do coco e do caju,
 Mandioca, milho e feijão,
Da melancia, manga e banana,
Jerimum, cana e melão,
Batata doce e verdura
Toda essa belezura
É típica da região

Nós precisamos de proteção
Pra nossas matas ciliais
Vamos dar uma acordadinha
Nos órgão ambientais
Que nos ajudem por gentileza
A proteger nossa beleza
Pois nela a vida se refaz

Já esperamos até demais
Está sobrando paciência
Pois se ver muito descaso
E falta de consciência
Precisamos levantar a voz
Pois o Rio Acaraú é pra nós
Um meio de sobrevivência


      Autor: José Edson de Sousa
Paróquia Nossa Senhora da Conceição
                    Acaraú-CE
             Diocese de Sobral

Nenhum comentário:

Postar um comentário